[Português]
Parte 1

O cão enfiou o nariz no chão húmido, inspirou fundo e bufou.

Terra e pedaços de casca de pinheiro saíram projetados em todas as direções.

O coelho estava perto, ele tinha a certeza.

Parte 2

O som de um ramo a partir fê-lo saltar, sem pensar, para o meio de um arbusto cheio de picos.

“Maldito coelho! Eu já te apanho.”

Outro estalido, desta vez mesmo atrás de si.

O cão deu uma pirueta e lançou-se a correr na direção do som.

As orelhas abanavam para cima e para baixo ao ritmo da língua que saltava descontrolada fora da boca.

O cão parou bruscamente e levantou as orelhas.

Cheirou o ar freneticamente deixando escorrer pingos de baba para o chão. “Sim. Apanhei-te….”

Parte 3

De repente, o cão sentiu uma pancada no meio da testa.

Ainda viu outra pequena pedra a vir na sua direção, mas não teve tempo de se desviar. PIMBA! Outra pancada.

— Desaparece! — disse uma vozinha a vir da direção de um tronco coberto de musgo.

O cão baixou a cauda. Um coelho que falava a língua das pessoas?

A medo, o cão espreitou por baixo do tronco.

— Desaparece, já disse! — repetiu a voz.

Uma pessoa, muito pequenina, do tamanho de um daqueles biscoitos de cão compridos ameaçava-o com outra pedra na mão.

Parte 4

O cão arregalou os olhos.

A criatura era azul, tinha barba branca e um barrete vermelho na cabeça.

Os seus olhos pequeninos estavam semi-cerrados numa expressão ameaçadora.

Era tão engraçado!

O cão levantou uma pata para lhe tocar.

O melhor seria se a pessoa pequenina começasse a correr.

Podiam brincar os dois!

— Afasta-te! Não sabes com quem é que te estás a meter. — gritou a pessoa pequenina.

Parte 5

Nesse momento uma sombra caiu sobre a criatura.

Um gato preto tinha saltado de um ramo alto de uma árvore abocanhando a pessoa pequenina.

O homenzinho azul, meio enfiado na boca do felino, começou a gritar.

O gato ignorou-o, e olhou para o cão de alto a baixo com uma expressão de desinteresse.

— Palerma. — disse-lhe o gato entre dentes antes de desaparecer na floresta.

Parte 6

O cão ficou parado no mesmo sítio, atónito.

Um gato que falava a língua das pessoas?

Este dia estava cada vez mais estranho.

Ele sabia que não devia ter lambido aqueles cogumelos vermelhos.

[Tradução]
Parte 1

The dog stuck his nose in the wet ground, breathed in deeply and puffed.

Soil and pine bark sprayed out in all directions.

The rabbit was close, he was sure.

Parte 2

The sound of a branch breaking made him jump, without thinking, into a bush full of spikes.

“Damned rabbit! I will catch you.”

Another crack, this time right behind himself.

The dog pirouetted and dashed in the direction of the sound.          

The ears bounced up and down to the rhythm of his tongue that jumped out of his mouth uncontrollably.

The dog stopped abruptly and lifted up his ears.

He sniffed the air frantically,
drooling all over the ground.
“Yes. I caught you…”                          

Parte 3

Suddenly, the dog felt something hit his forehead.

He saw another little stone come his way, but he didn’t have time to dodge it. BAM! Another hit.

“Go away!”, said a little voice coming from a trunk covered in moss.

The dog lowered his tail. A rabbit that spoke the language of humans?

Hesitantly, the dog peeked under the trunk.

“Go away, I’ve told you already!” repeated the voice.

A person, very tiny, the size of those long dog treats, threatened him with another stone in his hand.

Parte 4

The dog’s eyes widened.

The creature was blue, had a white beard, and wore a red cap on his head.

His little eyes were half-shut in a threatening manner.

It was so funny!

The dog lifted a paw to touch him.

The best thing would be if the little person started running.

Both of them could play together!

“Go away! You don’t know who you’re messing with!”, shouted the little person.

Parte 5

At that moment, a shadow fell over the creature.

A black cat had leapt from a branch high up on a tree, clinching the little person with its mouth.

The little blue man, half stuck in the feline’s mouth, started screaming.

The cat ignored him, looking the dog up and down without interest.

“Fool.”, the cat told him through gritted teeth before disappearing into the forest.

Parte 6

The dog stayed still on the same spot, astonished.

A cat that spoke the language of humans?

This day was getting weirder and weirder.

He knew that he shouldn’t have licked those red mushrooms.